Comissão de Atletas é traída pela CBV

Comissão de Atletas é traída pela CBV

Bruno Voloch

27 Novembro 2017 | 08h56

A traição do presidente da CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, Walter Pitombo Laranjeiras, o Toroca, representado por Neuri Barbieri, deveria servir de lição.

Como é de conhecimento geral, a entidade máxima do vôlei no BRASIL foi contra aumentar a participação dos atletas com direito a voto na Assembleia Geral do Comitê Olímpico do Brasil, (COB).

O golpe foi duro mas retrata a realidade da relação entre a CBV e a Comissão de Atletas que não resolve e não apita rigorosamente nada.

Fato.

Talvez não por culpa daqueles que assinam como presidente e vice, no caso André Heller e Kid, mas sim pela política que assola a CBV nos dias atuais.

Criada em 2015, a Comissão de Atletas, é usada, seus integrantes tratados como fantoches, não funciona na prática e foi novamente desrespeitada na cara dura.

Pisaram em cima dos envolvidos.

Se tivessem coragem, e aí incluo a líbero Fabi, Lucarelli e Renatinha, os 5 deixariam seus respectivos ‘cargos’. Sairiam por cima porque nenhum deles precisa disso.

Essa sim seria a resposta e não a carta enviada ao presidente da CBV.