Como ganhar pontos sem sair de casa. Praia comemora rodada (quase) perfeita

Como ganhar pontos sem sair de casa. Praia comemora rodada (quase) perfeita

Bruno Voloch

08 de novembro de 2017 | 06h28

Melhor impossível.

O Praia Clube nem precisou entrar em quadra para ampliar a vantagem contra os principais adversários. Todos, sem exceção, tropeçaram. Uns menos, outros mais.

Rio e Minas deixaram mais um set pelo caminho. Hoje, aparentemente, não significa prejuízo tão grande, mas no final os sets perdidos para Pinheiros e Bauru, respectivamente, podem fazer a diferença.

E poderia ter sido pior, ou melhor, se for pensar com a cabeça do Praia.

O Rio fez 3 a 1 e sofreu em São Paulo. Andou rateando no quarto set mas controlou a situação, virou o placar contra o instável e inseguro Pinheiros.

O Minas teve roteiro semelhante em Bauru.

Saiu perdendo e contou com a incompetência de Bauru para vencer por 3 a 1. A sequência inacreditável e inconcebível de pontos no quarto set merece muito mais do que um simples registro. Aliás, a entrada de Karine foi fundamental.

Bauru tem obrigação de apurar os fatos. É nítido o desentrosamento entre determinadas jogadoras e o técnico Fernando Bonatto. O time dá a sensação de que joga quando quer. Não pode. Falta comando.

O maior lucro do Praia veio do Rio.

(Foto: Maurício Val/fotojump)

A derrota de Osasco para o Fluminense, que luta para não cair, de virada por 3 a 2 permitiu ao Praia abrir 3 pontos já na quinta rodada. Será difícil para o time paulista explicar o primeiro resultado negativo da temporada.

Primeiro em tese porque na teoria o ponto perdido contra Valinhos é praticamente irrecuperável. Não tem essa desculpa de que é início de campeonato.

Balela.

Por sinal esse mesmo Valinhos deixou merecidamente a zona de rebaixamento ao derrotar o frágil Sesi por 3 a 1.