Convocação morde a assopra deixa evidente interferência externa na lista de Renan.

Convocação morde a assopra deixa evidente interferência externa na lista de Renan.

Bruno Voloch

25 de abril de 2018 | 09h15

O senado venceu. Fica cada vez mais evidente, embora Renan tenha negado publicamente, que existe interferência externa na convocação da seleção brasileira.

Apenas um líbero, no caso Thales, foi chamado o que evidencia o retorno pedido pelos veteranos do jogador Murilo.

Tiago Brendle, coitado, sem prestígio e usado em 2017 rodou feio.

A última relação será divulgada após a decisão da Superliga, dia 6 de maio, e só irá trazer atletas do Sesi e do Cruzeiro, ou seja, vitória da maioria.

Como Serginho não tem vez na seleção, vetado faz tempo pelos ‘senadores’, não é preciso ser muito inteligente para concluir que Murilo está garantido.

Renan cede e se complica moralmente. Será cobrado.

Como se não bastasse, a primeira convocação foi bem ao estilo morde e assopra e já que não existe critério, é fácil explicar o que levou Renan, oposto, a ser novamente relacionado.

O que livra a pele de Renan, treinador, é a presença de Thiaguinho e Lucas Lóh na convocação. Duas ótimas pedidas. Novos talentos, cheios de saúde e pedindo passagem.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: