Copa Brasil tem Rio e Osasco como azarões e favas contadas em Minas e Uberlândia.

Copa Brasil tem Rio e Osasco como azarões e favas contadas em Minas e Uberlândia.

Bruno Voloch

22 de janeiro de 2019 | 08h57

Rio e Osasco, quem diria, vivem cenário semelhante na famigerada Copa Brasil.

Os dois maiores vencedores da história da competição, 3 títulos cada, entram em quadra logo mais sem o favoritismo habitual. A campanha ruim no primeiro turno da Superliga tirou de Rio e Osasco a possibilidade de jogar em casa, algo inédito até então.

Mérito de Barueri e Bauru que quebraram o protocolo e assumem, com inteira justiça, o papel de protagonistas. A responsabilidade de avançar na competição é toda deles que atuarão com o apoio da torcida.

O que pode salvar Rio e Osasco é o peso da camisa e a tradição.

Não é o caso de Curitiba e Fluminense. Esses dois não se salvam em hipótese alguma.

O primeiro encara o Praia em Uberlândia.

O segundo visitará o Minas.

Nos dois casos, favas contadas.