Cruzeiro junta a fome com a vontade de comer. Se cuida, Sesi!

Cruzeiro junta a fome com a vontade de comer. Se cuida, Sesi!

Bruno Voloch

21 de abril de 2018 | 09h32

Uma semifinal com cara de decisão. Pena que só um poderia passar e normalmente quando o Cruzeiro está envolvido sobra para o adversário.

E foi o que aconteceu. 3 a 1 e vaga pela oitava vez seguida na final da Superliga.

Independentemente do resultado, Taubaté resistiu muito mais do que todos esperavam.

Caiu de pé.

Nem mesmo o time do Cruzeiro esperava uma série tão apertada.

A classificação obtida no quinto jogo e de virada novamente, como foi a semifinal, dá muita moral e confiança para os mineiros na decisão contra o Sesi.

O grupo sai muito fortalecido e com ritmo de jogo, diferente do Sesi que está parado faz tempo. Como se diz na gíria, o Cruzeiro, que era dado como morto, vem ‘babando’ para cima do Sesi.

Se é difícil segurar o Cruzeiro em condições normais, que dirá agora.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: