Cultura prevalece e Estados Unidos valorizam medalha de bronze

Cultura prevalece e Estados Unidos valorizam medalha de bronze

Bruno Voloch

20 Agosto 2016 | 18h56

O que poderia ser ouro acabou como bronze. Ainda assim as jogadoras encontraram motivo para comemoração.

Dessa forma a seleção dos Estados Unidos termina os jogos olímpicos do Rio

Karch Kiraly trabalhou rápido o emocional de um grupo absolutamente derrubado após a inesperada derrota para a Sérvia na semifinal.

A cultura norte-americana de valorizar a competição e principalmente uma medalha acabou prevalecendo.

UnitedStatesteamposesforapictureaftertheirvictoryagainstNetherlandsandwinningtheBronzemedal

Os Estados Unidos não foram brilhantes mas tiveram por exemplo Kimberly Hill como protagonista. A volta de Akinradewo pesou na vitória por 3 a 1 contra a Holanda. As duas fizeram juntas 31 pontos.

A Holanda, pelo que mostrou no Rio, talvez não merecesse mesmo sair de mãos vazias. Foi uma grata revelação. Seleção corajosa, bem treinada e que se mantiver a base certamente poderá virar grande no futuro.

AmericanKimberlyHillfacesNetherlandsdoubleblockbyLonnekeSloetjesandRobinDeKruijf

Ainda não é.

Os Estados Unidos sim. Se a meta passou a ser bronze, o objetivo foi alcançado.