Descaso em Anápolis: time sofre com salários atrasados enquanto prefeito se diverte na Disney

Bruno Voloch

19 de novembro de 2019 | 09h12

O vôlei de Anápolis tem apenas 1 ano de vida. Período suficiente para que os envolvidos sofram na pele com o descaso dos responsáveis e salários atrasados.

Um dos jogadores, que prefere ter o nome mantido em sigilo, procurou o blog para denunciar a situação do clube.

Segundo ele, Anápolis deve 2 meses de salários e o prefeito Roberto Naves, responsável pelo projeto, goza férias na Disney.

Eis o relato:

‘Com muita insatisfação venho relatar algo que está virando costume no voleibol brasileiro. Anapolis vôlei simplesmente está entrando aos poucos no mar de times devedores, são dois meses de salário atrasado, enquanto isso o prefeito da cidade que é responsável pelo projeto junto ao campeã olímpico Dante está simplesmente de folga na Disney. Segundo o Dante ele é o único que pode resolver esse problema, segundo informações da diretoria a captação dos patrocinadores está em dia, pena que nosso salário não. Vim para Anápolis com fé total no projeto e me decepcionei, reflexo de tudo isso… Já estou com o meu nome sujo, passando certas necessidades em casa com a família, estresse nos treinos e muito mais, vale relatar que isso é algo que está acontecendo com todo o time, pois até a nossa comissão técnica foi afetada, enquanto o nosso querido prefeito curte suas férias na Disney só nos resta esperar, pois todos os times dentro e fora do Brasil já estão com suas contratações fechadas’.

O atleta dá detalhes:

‘Nosso salário deveria cair todo dias 15, com os dois primeiros atrasos eles pediram para mudarmos nossas contas para o dia 30, todos mudamos. Mas dias 30 e 31 passaram e nada do salário cair na conta, em seguida prometeram acertar no dia 5 e até hj nada.’

A estrutura também foi alvo de críticas:

‘Nem equipamento de fisioterapia nós temos. Sofremos com isso. Alguns já estão pensando em sair do clube’.

Anápolis está inscrito para jogar a Superliga B.

Dante, campeão olímpico e co-responsável pelo projeto, segundo informações, não se pronuncia.

O elenco conta nomes conhecidos como Vini, ex- Campinas e capitão, Bruno Temponi, Madaloz, o líbero Matheus, o levantador Paulo Renan e o oposto Leandrão.

Ricardo Picinin é o técnico.

Anápolis recentemente disputou o campeonato mineiro. No primeiro ano jogando a Superliga B, o clube foi eliminado e parou na semifinal. A cidade, o que é mais lamentável, comprou o projeto, apoiou o time chegando a bater recorde de público na competição com quase 6 mil pessoas no ginásio Newton de Faria.

 

 

Tendências: