Destinee Hooker será uma bomba-relógio no Minas

Destinee Hooker será uma bomba-relógio no Minas

Bruno Voloch

13 Outubro 2016 | 08h00

O Rio ainda é favorito. Osasco jamais pode ser desprezado pelo histórico e tradição. Bauru nunca investiu tanto. O Praia sonha virar grande e acabar com sina de vice.

Os três primeiros trouxeram jogadoras estrangeiras e o quarto manteve Alix e Daymi.

Nenhuma contratação porém causou tanto impacto quanto a chegada de Destinee Hooker para o Minas. Impressionante como a notícia da vinda da norte-americana mexeu com o fanático e exigente torcedor do mineiro.

destinee-hooker-oposto-dos-eua-comemora-ponto-marcado-no-jogo-contra-o-brasil-neste-sabado-1108-1344709101613_1024x768

Não foi só ele.

Hooker deixou saudades em Osasco onde foi campeã brasileira. É bom porém ter cautela. Os tempos são outros. 4 temporadas se passaram e Hooker nunca mais foi a mesma.

Por onde passou não vingou. Na Rússia ainda deu o ar da graça, mas as passagens por Porto Rico, Coreia e China foram decepcionantes. Karch Kiraly, técnico da seleção dos Estados Unidos, rejeitou Hooker. O ‘não’ foi muito mais em função do aspecto disciplinar do que técnico.

Hooker não é nenhuma ‘santa’. É como se diz na gíria uma bomba-relógio que pode estourar ou não no Minas.

Se estiver bem fisicamente, o que é uma incógnita, não duvido que possa ajudar e transformar o Minas novamente num time respeitável na Superliga. Se for enquadrada por Paulo Coco e vier disposta a ajudar será importante.

0 sLEQd8S8_SnIkW0A

O BRASIL traz boas recordações. Foi aqui que a jogadora teve seu último lampejo como atleta.

Se Hooker ainda tem potencial e está com a cabeça no lugar só o tempo dirá. Certo é que o Minas é mais uma possibilidade, talvez a última, de mostrar que pode ser útil.