Diagnosticada com Covid-19, Paula Mohr alerta: ‘Os números não mentem e não é uma gripezinha’

Diagnosticada com Covid-19, Paula Mohr alerta: ‘Os números não mentem e não é uma gripezinha’

Bruno Voloch

22 de novembro de 2020 | 09h12

Paula Mohr, jogadora de Brasília, entrou para a lista.

Ela testou positivo para Covid-19 e está afastada dos treinos. Isolada, ainda não sabe quando será liberada.

O blog fez contato com a atleta. Ela diz que passa bem, na ‘medida do possível’. Paula conta como descobriu que estava com coronavírus:

‘Eu descobri na última quinta-feira. A gente havia feito um teste na segunda anterior e tinha dado negativo. Aí repetimos o teste na quinta e deu positivo. No mesmo dia comecei a sentir os sintomas. Dor de cabeça, no corpo e um pouco de febre. Digo que estou bem na medida do possível e dentro do quadro. Agora é esperar esses 10 dias e me cuidar’.

Paula diz que está assustada com a possibilidade, para muitos realidade, de uma segunda onda no BRASIL:

‘Sim, assusta, os números não mentem, precisamos nos preocupar e nos proteger porque não é brincadeira’.

Lamentavelmente, boa parte da população insiste em subestimar a doença. Muita gente sem máscara, fora festinhas e churrascos como se nada tivesse acontecendo. Comportamento que deixa a atleta indignada:

‘Estão erradas e precisam urgentemente se conscientizar da gravidade que é, não é uma simples gripezinha’.

Por fim, Paula, consciente, diz que teme inclusive pela paralisação da Superliga no futuro caso os índices de contaminação não diminuam:

‘Preocupante porque os casos estão aumentando e o contato é inevitável’.

Brasília, time de Paula, tem no total 10 casos no elenco envolvendo jogadoras e comissão técnica. 3 jogos do clube foram adiados e a equipe não jogará mais pela Superliga em novembro.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.