Dilema em Taubaté

Dilema em Taubaté

Bruno Voloch

07 de outubro de 2020 | 08h47

Javier Weber, diferente dos antecessores, tem sido muito coerente nesse início de trabalho em Taubaté.

O técnico vai aos poucos colocando em prática sua filosofia de trabalho nos treinamentos e que já são perfeitamente perceptíveis nos jogos.

A mudança no comportamento de Lucão e sua irritante preguiça, algo que nem Renan conseguiu, é um dos exemplos. Taubaté é um time mais equilibrado nos fundamentos e regular. É bem verdade que os adversários não são de primeira linha em São Paulo, todos iguais, mas não dá para ficar esperando pelo Cruzeiro, único que irá exigir do virtual campeão paulista na temporada.

Não espere nada diferente disso.

A briga na saída de rede está aberta e será interessante entre Felipe Roque e Gabriel. Na ponta João Rafael não fica devendo em nada ao instável Douglas Souza, que joga quando quer, ou melhor, jogava quando queria.

Com Weber não será assim.

O grande dilema do argentino porém está na posição de levantador.

O afastamento de Bruno, com Covid-19, abriu espaço para Rapha que entrou e como era de se esperar deu conta do recado. No mínimo igual. A questão é saber como Weber irá agir quando Bruno for liberado, algo que poderá acontecer em breve.

As finais serão nos dias 13 e 17, ou seja, na semana que vem.

Nesse caso o bom senso indica manter Rapha como titular. Seria o mais justo e coerente.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.