Dívidas com jogadores inviabilizam Canoas e Caramuru na Superliga; CBV estica prazo e se cala.

Bruno Voloch

07 Junho 2018 | 11h28

O regulamento da Superliga é claro e impede que os clubes que tenham dívidas com jogadores participem da Superliga. Canoas, divulgado pelo blog recentemente, e Caramuru, segundo denúncias que o blog recebeu, se enquadrariam nesse caso.

A CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, não se pronuncia.

O prazo para que os clubes confirmassem a participação na próxima edição terminou em 30 de maio. A CBV emendou o feriado e se cala. O evento em Goiânia, jogos da seleção masculina pela VNL, foi usado como justificativa e desculpa para não responder aos interessados.

Maringá e Juiz de Fora seriam hoje os beneficiados se a CBV fizer valer o que está escrito.

A dívida de Canoas é vergonhosa.

O clube deve 8 meses de salários conforme o blog divulgou em abril.

Os dirigentes tentam alguma manobra nos bastidores. Os atletas porém se recusam a assinar documentos dando quitação dos débitos.

Em Caramuru a situação é diferente e segundo consta a dívida é muito menor. Ainda assim o blog recebeu a informação, que será divulgada em breve, que o clube deve para alguns jogadores 2 meses de salários.

Canoas e Caramuru só podem jogar a Superliga se a CBV comprovar que não existe débito com os atletas.

E aí, CBV?