Eleição na CBV: vitória e primeiro passo da oposição

Eleição na CBV: vitória e primeiro passo da oposição

Bruno Voloch

15 de junho de 2020 | 19h29

Dito e feito:

O blog bancou há 3 semanas que Maurício, Fabizona, Rodrigão e Sheilla seriam eleitos. Não deu outra.

A esperança aumenta.

Os 4 foram confirmados nas eleição dos atletas olímpicos do vôlei de quadra para participação na assembleia eleitoral da CBV em 2021.

Maurício teve 61 votos, Rodrigão 48, Fabizona 43 e Sheilla 38.

Fracassou a tentativa da situação, em declarado movimento interno e orquestrado por gente grande, de eleger um representante da geração de prata, velho conhecido da política com passagem fracassada pelo COB, Comitê Olímpico Brasileiro. Os jogadores de 92, 2004 e 2016 se fecharam com raríssimas e conhecidas exceções.

E deu resultado.

Além dos 4 da quadra, passaram no vôlei de praia Ricardo, Bárbara, Zé Marco e Mônica Rodrigues.

A eleição dos 8 representantes dos atletas medalhistas olímpicos incluiu 87 atletas de quadra e 17 de praia. Votaram todos medalhistas olímpicos de quadra e praia.

Irão participar das eleições da CBV, Condeferação Brasileira de Vôlei, cento e duas pessoas, entre representantes das federações estaduais, atletas e clubes assim distribuídos:

27 federações, 9 clubes, 4 atletas da comissão nacional (Rapha, Emanuel, Harley e Amanda), 54 atletas das federações estaduais e 8 atletas medalhistas olímpicos, entre eles Sheilla, Fabizona, Maurício Lima e Rodrigão.

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: