Em ato inédito na seleção, Renan quebra protocolo e escala Cachopa como titular.

Em ato inédito na seleção, Renan quebra protocolo e escala Cachopa como titular.

Bruno Voloch

12 de julho de 2019 | 23h19

A amarelada básica do Irã fica em segundo plano. Era evidente que eles entregariam em algum momento do jogo e aconteceu novamente no tie-break, isso depois de abrirem 8/5.

Perderam como sempre.

Só que o maior lance de Brasil x Irã porém foi fora de quadra. Renan Dal Zotto surpreendeu na escalação do time e barrou simplesmente Bruno, considerado intocável e um dos senadores remanescentes.

Uma audácia inimaginável. Situação inédita até então na seleção.

Cachopa deu conta do recado e precisou reaparecer no quinto set quando a coisa apertou. Se Renan irá manter o levantador do Cruzeiro para a semifinal é outra questão.

Não será fácil a pressão interna, mas Renan precisa ter pulso firme e não mudar suas convicções.

Cachopa correspondeu, mas não dá para dizer de Douglas Souza que foi uma negação e decepcionou. Maurício e Leal foram bem instáveis e quem segurou a onda mesmo foi Lucarelli. Ele e Flávio foram os melhores do BRASIL.

Thales comprometeu atrás.

Não tinha como perder para o Irã, mas a seleção andou abusando da sorte.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: