Enquanto isso lá embaixo, São Caetano desencanta, vê ‘penetra’ perder outra e mira Pinheiros contra o rebaixamento.

Enquanto isso lá embaixo, São Caetano desencanta, vê ‘penetra’ perder outra e mira Pinheiros contra o rebaixamento.

Bruno Voloch

12 de dezembro de 2018 | 08h55

Um já foi, ou caminha a passos largos para cair.

É Balneário Camboriú, do bom e competente Maurício Thomas, que dificilmente escapará da queda para a Superliga B pelos pontos conquistados dentro de quadra. Por enquanto apenas 1 em 7 jogos.

A salvação, e sempre existe essa esperança por aqui, é se alguém quebrar.

São Caetano era o mais credenciado para fazer companhia ao time catarinense. Isso até o encerramento da sétima rodada. A equipe comandada por Antônio Rizola tinha um jogo chave contra o próprio Camboriú, concorrente direto. Ganhou a primeira e fez 3 pontos, chegando aos 4.

O resultado fez o time se aproximar do Pinheiros na classificação. A distância entre eles caiu para 2 pontos.

Isso porque Curitiba foi até São Paulo e marcou 3 a 1 beneficiando diretamente São Caetano que viu o adversário, que tem 2 jogos a mais, despencar para a décima colocação.

O ‘penetra’ Brasília caiu para Bauru por 3 a 0 e se manteve com 9 pontos, mas também com 8 jogos. É outro que se junta ao pelotão.

Daí sairá o segundo rebaixado.