Fair Play feminino: CBV convida Pinhais, Minas deve uma assinatura e 5 rejeitam Curitiba

Fair Play feminino: CBV convida Pinhais, Minas deve uma assinatura e 5 rejeitam Curitiba

Bruno Voloch

15 de julho de 2020 | 15h33

O blog teve acesso ao conteúdo da reunião virtual envolvendo CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, e os clubes.

Na ocasião foi exigido pela entidade a Declaração de Regularidade Financeira.

Osasco, Praia Clube, Brasília, Barueri, São Caetano, Pinheiros, Fluminense, Flamengo e Bauru apresentaram documentação completa. 100% das assinaturas.

O Minas devia ainda comprovante de uma estrangeira. O documento foi entregue e será analisado pela CBV.

A questão de Curitiba, como se esperava, é delicada. 5 jogadoras, segundo o blog apurou, não assinaram. O clube por sua vez, até onde consta, teria os comprovantes dos pagamentos, recibos esses não reconhecidos por parte das atletas.

O caso será entregue ao departamento jurídico da CBV.

A novidade ficou por conta do convite feito para Sao José dos Pinhais. O clube paranaense, que jogou a Superliga B, terá mais tempo que o prazo normal para apresentar a Declaração de Regularidade Financeira.

Se assim for, estará apto para jogar a elite do vôlei nacional.

Valinhos abriu mão da vaga e Itajaí, que teria direito ao acesso, recusou por questões financeiras.

A CBV deu 5 dias para que os clubes com pendências regularizem suas respectivas situações.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: