Federação Paulista repudia arbitragem no Rio: ‘Não tem ninguém na CBV e não podemos admitir casuísmo’

Federação Paulista repudia arbitragem no Rio: ‘Não tem ninguém na CBV e não podemos admitir casuísmo’

Bruno Voloch

12 de fevereiro de 2020 | 10h40

A vergonhosa arbitragem no Ginásio do Tijuca na partida entre Rio e Osasco continua repercutindo pelo BRASIL afora.

O suposto favorecimento ao time de Bernardinho fez o Presidente da Federação Paulista de Vôlei, Renato Pera, se manifestar.

O dirigente saiu em defesa dos afiliados:

‘Esses erros são comuns em virtude de uma repetição dos mesmos árbitros nos jogos. Isso seria resolvido com arbitragem neutra. A CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, deveria nos jogos chaves desde início da competição usar árbitro internacionais para essas partidas. Temos 20 árbitros internacionais de quadra’.

Renato falou do atual relacionamento das federações com a entidade:

‘A FPV tem sempre demonstrado interesse nos seus filiados. Quanto ao diálogo com a CBV, existe, mas nunca tem ninguém para resolver nada lá. Radamés (superintendente) fala que vai ver e a resposta é difícil. Nas competições de quadra a soberba se impõe a razão, mas o diálogo funcionaria’.

O dirigente deixa claro que não existe bom senso nas decisões e privilégios para determinados profissionais:

‘O diretor de arbitragens sempre está afeto à orçamento para escalar árbitro. Não podemos admitir casuísmos na arbitragem dos jogos da Superliga em benefício de alguns. Já vimos o José Roberto Guimarães ser punido pela Justiça Desportiva. Os outros tem algum benefício para não ir aos relatórios’.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: