FIVB votou mudança em março e rebaixamento da Argentina na VNL estava previsto no regulamento.

FIVB votou mudança em março e rebaixamento da Argentina na VNL estava previsto no regulamento.

Bruno Voloch

22 Junho 2018 | 07h36

O possível descontentamento da FEVA, Federação Argentina de Voleibol, não se justifica.

Os dirigentes teriam reclamado do rebaixamento da seleção feminina na VNL. Última colocada na fase de classificação, a Argentina está fora da competição em 2019.

Diferente do que propõe a FEVA, a federação foi sim informada da mudança do regulamento. Quando a VNL foi proposta, um jogo entre o último colocado e o campeão da Challenger Cup determinaria quem se classificaria para o ano seguinte.

Em março porém a FIVB decidiu rever a regra e colocou em votação a proposta que rebaixaria direto o lanterna e promoveria o campeão da Challenger Cup.

O blog apurou que a questão foi colocada em pauta dia 9 de março, ou seja, mais de 2 meses antes do início da VNL, com deadline dia 16.

15 federações votaram a favor da mudança e 5 contra, entre elas a Argentina, acompanhada da Itália, Polônia, Bélgica e Austrália. O Irã não votou.

A FEVA, segundo o blog teve acesso, votou não em 14 de março.

A maioria portanto optou pelo acesso do campeão da Challenger Cup. Disputam hoje a vaga as seleções da Colômbia, Bulgária, Hungria, Porto Rico, Austrália e Peru.