Flamengo é bem-vindo, mas não pode se contentar em ser outro Fluminense na Superliga

Flamengo é bem-vindo, mas não pode se contentar em ser outro Fluminense na Superliga

Bruno Voloch

05 de abril de 2019 | 08h38

Para o Flamengo é pouco.

Subir, diante do cenário da Superliga B e pelo razoável investimento feito, era obrigação. Conquistar o título da segundona será mais complicado porque Valinhos, aparentemente, parece mais encorpado.

Mas nesse caso ganhar ou perder não irá fazer diferença alguma já que o objetivo foi alcançado.

O que importa é daqui para frente.

O Flamengo tem um exemplo bem ao seu lado. Não dá para seguir os passos do rival Fluminense, time que desde que chegou se contenta apenas em participar da Superliga sem maiores ambições.

Não dá para o Flamengo ser mais um. Não combina com a grandeza e o passado do clube. A exigência da torcida irá além de simplesmente ficar entre os 8 como o rival faz há anos.

Alexandre Ferrante que trate de se mexer. Resolva se será técnico ou supervisor, dispense logo quem não tem nível para jogar a primeira divisão e traga peças pontuais.

E é pra já.