Fluminense, versão Robin Hood, ressuscita Pinheiros na Superliga.

Fluminense, versão Robin Hood, ressuscita Pinheiros na Superliga.

Bruno Voloch

18 de janeiro de 2019 | 07h53

Em matéria de generosidade ninguém supera o Fluminense, versão Robin Hood, que pela segunda vez na temporada conseguiu a façanha de perder para o Pinheiros e ressuscitar o time paulista na Superliga.

Agora foi em casa por 3 a 1, resultado que não mudará na vida dos dois e que só mostra o quanto são muito ruins.

Difícil saber quem é pior.

A única certeza é que Fluminense e Pinheiros não vão arrumar nada na Superliga.

Só um deles deve avançar para os playoffs, o que não significará muita coisa para aquele que ficar fora, já que independentemente do cruzamento o sobrevivente cairá em seguida nas quartas seja contra quem for.

O prognóstico vale para os dois lados.

Fluminense e Pinheiros são absolutamente imprevisíveis.

Um é capaz de vencer o Rio, o outro derrotar Osasco fora, como fizeram no primeiro turno. Ao mesmo tempo perdem de Curitiba e Balneário, ou seja, se enrolam sozinhos.

Ambos não passam a menor confiança.

Zero de credibilidade.