Gangorra e ‘Tandaradependência’ na China

Gangorra e ‘Tandaradependência’ na China

Bruno Voloch

05 Junho 2018 | 12h07

O BRASIL repetiu o que fez a Itália na semana passada e ganhou da China por 3 a 2 na abertura da quarta rodada da VNL. O que se viu em Jiangmen porém não retrata o que foi o jogo e não condiz com a realidade.

É cedo.

Deixando de lado a euforia natural pela vitória, sem esquecer que a Itália, nona colocada, já havia vencido essa mesma China por 3 a 1, a seleção brasileira teve seríssimos problemas na recepção.

A China foi superior em todos os fundamentos passando pelo ataque, bloqueio e saque. A derrota no quarto set por 25/10 por exemplo foi algo inaceitável.

A reação no tie-break, esse sim, foi o ponto positivo.

O que fica claro a cada jogo minimamente disputado, caso de hoje, é a ‘Tandaradependência’ da seleção, o que não deixa de ser preocupante.

O dia que Tandara não comparecer, só Deus sabe o que pode acontecer.

É perfeitamente compreensível o cuidado da comissão técnica com Gabi, jogadora fundamental, mas já passou da hora dela e  Drussyla atuarem juntas como era no Rio.