Gestor de Guarulhos se defende das acusações, alega pandemia e diz que retornará com a base em 2021

Gestor de Guarulhos se defende das acusações, alega pandemia e diz que retornará com a base em 2021

Bruno Voloch

03 de agosto de 2020 | 11h30

Anderson Marsili, procurado pelo blog, se manifestou.

O gestor do Vedacit/Guarulhos se defendeu das acusações dos jogadores e explicou a decisão do clube em abrir mão das categorias de base:

‘O clube preza por uma gestão profissional e diante de um cenário de pandemia nós tomamos algumas decisões em relação as categorias de base. Optamos interromper desde março as atividades e retornamos os atletas paras suas casas. Seguimos toda orientação da Organização Mundial da Saúde e os protocolos da CBV, e portanto optamos pela interrupção das atividades da base em 2020 por não haver segurança, ainda mais por ser uma questão de preservação do cidadão e não só do atleta’.

Anderson afirmou que Guarulhos irá retornar com o trabalho da base:

‘Afirmamos que em 2021 ou assim que a situação da pandemia estiver controlada e nos permitir ter segurança pela saúde dos envolvidos, nós vamos sim retornar com a base’.

O gestor no entanto reiterou a preocupação com o atual estágio do coronavírus no BRASIL:

‘Entendemos que os jovens estejam ávidos a prática da modalidade, nos comprometemos com os pais a ter ajuda psicológica e de preparação física, mas reafirmamos que não colocaremos nenhuma vida em risco E, por isso, as atividades da base de 2020 estão interrompidas’.

O clube, segundo ele, continuará dando suporte aos jogadores fora de quadra:

‘Mantivemos a bolsa com um dos principais colégios particulares de Guarulhos para garantirmos o estudo a distância para os atletas’.

Entenda o caso:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.