Haja recrutamento! CBV assina atestado de incompetência enquanto BRASIL é vice para Argentina.

Haja recrutamento! CBV assina atestado de incompetência enquanto BRASIL é vice para Argentina.

Bruno Voloch

03 Setembro 2018 | 10h55

A desesperada e inacreditável iniciativa da CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, anunciando que vai recrutar atletas pelo BRASIL afora mostra o quanto a atual administração está perdida e desacreditada.

É assinar publicamente atestado de incompetência, ou seja, que não é capaz e não confia nos profissionais contratados para desempenhar as funções nas categorias de base.

Amadorismo absurdo.

Usar o You Tube e avaliar o atleta via vídeo é o fim dos tempos e depõe contra o esporte indo de encontro a filosofia que por anos foi usada na CBV, deu inúmeros títulos ao BRASIL e virou modelo de administração no mundo.

Economia porca. O barato que sai caro, quando seria muito mais simples, se essa foi a ideia do gênio, que pasmem é pago pela CBV para desenvolver tais projetos, eleger técnicos e profissionais capacitados nas respectivas áreas.

Mas não.

O que o gênio esquece é que a CBV abandonou as categorias de base, os campeonatos de seleções estaduais, esses sim capazes de revelar atletas na acepção da palavra e não jogadores virtuais.

Os resultados das categorias de base, que eram motivo de orgulho, já seriam suficientes para atestar a falta de conhecimento e habilidade dos profissionais que estão na CBV atualmente.

A freguesia para a Argentina, inimaginável tempos atrás, se confirma a cada competição. A Seleção Brasileira masculina foi vice-campeã da Copa Pan-Americana, em Veracruz, no México. Derrota por 3 a 2 para os hermanos.

A feminina nem na final chega.

Normal.

Como se não bastasse, o reflexo chegou as seleções adultas que não renovam, não ganham nada faz tempo e passaram 2018 em branco.

A esperança agora está no Programa de Recrutamento.