Itália enxerga longe e leva Smarzek que jogaria fácil em qualquer time grande do BRASIL.

Itália enxerga longe e leva Smarzek que jogaria fácil em qualquer time grande do BRASIL.

Bruno Voloch

17 de julho de 2018 | 08h49

O Praia optou pela permanência de Fawcett, sequer cotada para a seleção dos Estados Unidos.

Osasco trouxe Hooker, outra descartada por Kiraly.

O Rio manteve a ultrapassada Monique e o Minas arriscou trazendo Bruna do Pinheiros.

Enquanto os principais times do BRASIL continuam na mesmice, não arriscam e acabam com as caras de sempre, sem inovação ou no máximo trocam figurinhas, a Itália pensou no futuro e para variar agiu rápido.

O Bergamo anunciou a contratação da polonesa Malwina Smarzek, destaque da seleção na VNL.

A promissora oposta de apenas 22 anos jogará pela primeira vez fora da Polônia.

Smarzek estava há 11 anos no Chemik Police. Pelo que mostrou na VNL, ainda que numa seleção fraca tecnicamente, Smarzek jogaria fácil no BRASIL em qualquer um dos grandes.

Se bobear, a conta no fim da temporada não seria tão alta.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.