Já vi esse filme – Parte 2

Já vi esse filme – Parte 2

Bruno Voloch

01 de outubro de 2020 | 10h17

2019 foi assim.

Bauru e Osasco no papel eram os favoritos e os dois sucumbiram diante do jovem Barueri de José Roberto Guimarães.

2020 começa assim.

O estadual tem um desenho bem semelhante.

Aliás, em tese igual se levarmos em conta os investimentos de Bauru e Osasco e as perdas significativas de Barueri. A diferença é que a pandemia e a inatividade de 6 meses pesam contra todos e de certa forma equilibram as coisas não deixando a parte técnica sobressair.

Com o devido respeito que São Caetano e Valinhos mereçam, e nesse momento financeiro adverso vale enaltecer, ambos só jogam e cumprem tabela.

Barueri, até então, havia vencido justamente os dois nas rodadas iniciais.

Agora não.

A vitória convincente por 3 a 0 diante do Pinheiros deve ser enaltecida. É um adversário tradicional, orçamento maior e que roubou sets de Bauru e Osasco.

Cada jogo é uma história e esse de fato foi o primeiro teste de verdade de Barueri.

Não dá para afirmar que o time de José Roberto Guimarães irá aprontar novamente desbancando o favorito Bauru e o grande Osasco. O que dá para dizer é que Barueri, em tese, mantém a condição de franco-atirador, terceira força.

Bauru e Osasco que abram os olhos.

José Roberto Guimarães comeu pelas beiradas em 2019. É um exímio estrategista, montou um elenco com peças promissoras e o campeonato de tiro curto virou mais um aliado.

 

 

 

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: