José Roberto Guimarães: ‘Trabalho com o presente e hoje a Roberta é realidade’.

José Roberto Guimarães: ‘Trabalho com o presente e hoje a Roberta é realidade’.

Bruno Voloch

11 de setembro de 2017 | 09h05

Nagoya, Japão.

O ano de 2017 terminou para a seleção brasileira com o segundo lugar aqui no Japão. O saldo foi positivo com 75% de aproveitamento. 3 títulos em 4 possíveis.

Conversei reservadamente com José Roberto Guimarães. O técnico disse estar orgulhoso do que o grupo conquistou durante a temporada:

‘Não foi fácil. Foram muitas mudanças, jogadoras importantes e experientes de fora e essas meninas foram corajosas e a maioria respondeu positivamente. É claro que existes aspectos que podem e serão aprimorados no futuro, mas estou satisfeito pelos resultados independentemente de ter sido primeiro, segundo ou terceiro. Fizemos observações importantes e que serão levadas em conta no futuro’.

Quem mais ganhou pontos com o treinador foi Roberta. Ela fala com orgulho da levantadora:

‘Ela cresceu muito e afirmo que vai fazer uma ótima Superliga. Menina boa de cabeça, interessada, inteligente e que tem ótima leitura de jogo. Ainda tem que aprender muita coisa, mas a evolução dela é inegável. A Roberta soube reagir bem a pressão, teve personalidade e conduziu com maestria esse time durante a temporada’.

Pergunto ao técnico se 2018 será diferente, afinal Dani Lins e Fabíola poderão ser convocadas, diferente do que aconteceu em 2017:

‘Eu trabalho com o presente e hoje é o momento da Roberta. Ela é realidade. Não sei o que vai acontecer daqui para frente. A Roberta mostrou ser capaz. Não seria justo agora falar de quem não está no grupo’.

A conclusão é minha. E simples.

Roberta pode renovar o visto para o Japão. Em 2018 ela volta para jogar seu primeiro mundial pela seleção adulta.

Alguma dúvida?

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.