Mari Capovilla diz que está impedida de treinar, relata ameaça, registra BO e crise em Valinhos vira caso de polícia

Mari Capovilla diz que está impedida de treinar, relata ameaça, registra BO e crise em Valinhos vira caso de polícia

Bruno Voloch

19 de novembro de 2019 | 07h41

Versões diferentes envolvendo André Rosendo, técnico do time, e Mari Capovilla, ex-mulher e jogadora do clube, fizeram a crise em Valinhos sair da esfera esportiva e parar na polícia com registro de BO.

Desde que divulgou a traição do ex-marido, que segundo consta teria se envolvido com uma atleta do time, Mari Capovilla está impedida de treinar, como ela mesmo declara na matéria.

André, procurado pelo blog, deu sua versão e disse apenas que ‘Mariana Capovilla não está afastada da equipe oficialmente e que  não se apresentou para o último jogo’.

A jogadora nega, rebate, diz que foi ameaçada e quase agredida pelo treinador recentemente:

‘No primeiro jogo da Superliga contra o Praia eu não poderia jogar pois segundo o fisioterapeuta estava há muito tempo sem treino e poderia me lesionar. Enviei uma mensagem ao André, mais me apresentei no horário do jogo e expliquei pessoalmente a situação. Nesse momento ele se alterou muito, me ameaçando novamente de não pagar meu salário e de dar um soco na minha cara. Saí antes de terminar o jogo e no dia seguinte fui até a delegacia registrar boletim de ocorrência’.

Entenda o caso:

Mari diz que possui as mensagens trocadas com André no dia a dia e enaltece que foi sim afastada do grupo por determinação do ex-marido:

‘A declaração dele não procede. Tenho registros de mensagens me dispensando, assinadas ou enviadas via WhatsApp. No dia 28/10 fui dispensa por 1 dia. Entre os dias 29/10 e  31/10, outra dispensa. Dia 01/11, ocorre mais uma liberação sem data de retorno. No dia 04/11 recebi orientação que poderia voltar ao treino dia 5/11 mais que iria trabalhar em horários pré-determinados para que eu não tivesse qualquer contato com o grupo. Isso para a minha presença não gerar um mal-estar com as demais atletas’.

André, indagado, se defendeu:

‘No último jogo ela foi relacionada e apareceu apenas para torcer sem dar explicações’.

Mari por sua vez, diz que faz exercícios e mantém a forma física isolada:

‘Malhava às 10:45 da manhã sozinha. Treinava das 17:00 às 18:00 sozinha também. Dia 10/11 através de mensagem fui avisada que iria treinar com o grupo na parte da noite. No dia 11/11 fiz pela manhã academia novamente sozinha e treinei com o grupo na parte da noite’.

Depois do registro de ocorrência, aconteceu uma reunião dia na quarta-feira, 13/11.

Mari relata a decisão:

‘Houve uma reunião no clube onde estavam presentes, eu, André e o presidente. Ele deixou claro que eu não iria mais jogar e receberia meu salário em casa. A decisão não foi documentada e estou aguardando contato para ser reintegrada’.

Valinhos recebe hoje o Flamengo pela terceira rodada da Superliga.

Mari Capovilla segue fora, sem treinar e sequer foi relacionada para o jogo.

 

Tendências: