Mari Paraíba paga o pato no Rio.

Bruno Voloch

14 Dezembro 2018 | 23h49

Nem o mais otimista torcedor do Rio poderia esperar um 3 a 0 no maior clássico do vôlei brasileiro. E nem a torcida de Osasco imaginava algo semelhante.

Só que apenas o Rio jogou. Osasco assistiu.

O Rio jogou e respondeu, dando sinais de reação após duas derrotas consecutivas.

Osasco não compareceu, esteve irreconhecível, mostrou alguns lampejos no segundo set e ficou nisso. No mais foi inapelavelmente batido e arrasado no terceiro set com inaceitáveis 25/12.

Atuação que não condiz com a história do confronto e que preocupa para a sequência da Superliga.

Derrota vexatória liderada por Mari Paraíba, a pior em quadra. Insegura, foi perseguida em quadra pelas jogadoras que atenderam o pedido vindo das arquibancadas do Tijuca.

Mari entregou, ou melhor, se entregou.

O Rio não precisou se esforçar muito e ainda assim foi melhor em todos os fundamentos, principalmente o saque. E na Mari. Essa pagou o pato.