Minas mostra caminho para José Roberto Guimarães renovar seleção. É só querer.

Bruno Voloch

10 de dezembro de 2018 | 08h07

O vice-campeonato mundial conquistado pelo Minas na China pode ter feito um bem enorme ao vôlei brasileiro. Vai depender  exclusivamente de José Roberto Guimarães.

A medalha de prata foi extremamente significativa, só que o Minas fez bem mais que isso.

A ótima campanha resultou na afirmação de Macris e o surgimento de Mayani. E teve mais. Gabizinha mostrou que está totalmente recuperada e 100% fisicamente.

Isso sem falar em Bruna Honório, oposta que não era unanimidade, gerava certa desconfiança e que aparentemente não sentiu a responsabilidade.

Das 4, Gabizinha é certa. Nunca deixou de estar nos planos para a Olimpíada do Japão. O que preocupava mesmo era a questão física. O mundial serviu para dissipar qualquer dúvida.

O fracasso no mundial do Japão evidenciou a necessidade da seleção renovar e mudar de cara. Em menos de uma semana, José Roberto Guimarães ganhou 3 opções: Macris, Mayani e Bruna.

Aquele discurso saturado de que são jovens e que precisam ser testadas não cola mais. As 3 merecem no mínimo serem cuidadosamente observadas.

Basta o treinador querer. Só não muda se não quiser.

Macris, Mayani e Bruna mostraram capacidade e personalidade ao enfrentarem as melhores jogadoras do mundo.

O Minas fez a parte dele, até porque se dependesse do Praia…

Tendências: