Minas onde deveria, Osasco além do esperado

Minas onde deveria, Osasco além do esperado

Bruno Voloch

09 de abril de 2019 | 08h00

Obrigação contra a superação.

Um foi montado para ser campeão, enquanto o outro organizado às pressas em nome da tradição. O resultado é que o Minas chegou onde deveria e Osasco foi além do que poderia.

Não há muito o que discutir sobre a classificação merecidíssima do Minas para decisão da Superliga. O time mineiro venceu todos os jogos que fez diante de Osasco na temporada. 100% de aproveitamento e em nenhum deles foi ameaçado. Aquele que Osasco mais se aproximou foi curiosamente o último da semifinal quando se vencesse o terceiro set teria a chance de quebrar o tabu.

Até que Osasco ainda resistiu bem emocionalmente e equilibrou as ações no quarto set, mas quando Bruna Honório foi para o saque resolveu a questão.

3 a 1, mesmo placar registrado em Belo Horizonte e o que mais vezes se repetiu entre os dois.

Vitória de uma equipe infinitamente superior tecnicamente e que fez jus ao investimento. Time bem montado, organizado taticamente e com incrível padrão de jogo.

Os aplausos da fanática torcida depois do último ponto são o maior reconhecimento e a certeza que se do outro lado não estivesse Osasco, a vaga na decisão teria sido mais fácil.