No auge da crise e salários atrasados, traição em família é revelada em Valinhos

No auge da crise e salários atrasados, traição em família é revelada em Valinhos

Bruno Voloch

25 de outubro de 2019 | 09h35

O Campeonato Paulista, como era de se esperar, acabou para Valinhos depois da derrota para o Pinheiros.

Só que diferentemente do que se imagina e foi divulgado, os problemas financeiros do clube se agravaram nas últimas semanas e, para piorar, Mari Capovilla e o técnico André Rosendo, sócios no projeto, se separaram.

O blog apurou que a pivô do fim do casamento teria sido a levantadora reserva Mariana Leite, contratada recentemente pelo clube paulista.

A própria Mari, procurada pelo blog, confirmou a informação visivelmente constrangida e sem entrar em detalhes: ‘É verdade, lamentavelmente’, limitou-se a dizer. As circunstâncias, até onde o blog chegou, foram as piores possíveis. Mari teria desconfiado da suposta traição logo depois de ter hospedado Mariana Leite na própria casa quando a atleta chegou na cidade.

A jogadora, que esteve em quadra na derrota para o Pinheiros por 3 a 1, falou com carinho do projeto que está cada vez mais ameaçado e da maneira como está sendo tratada:

‘Esse projeto só chegou na cidade pela influência da minha família, é uma pena tudo isso acontecer, fico constrangida de ser excluída e desrespeitada por uma pessoa que não estaria onde está hoje se não fosse pela minha ajuda, de um projeto que é meu e leva meu nome e da minha família. Nesse momento estou tentando cumprir apenas meu papel de atleta que segundo ele, André, nem isso sou. Preciso refazer a minha vida, ser forte e passar por mais esse obstáculo’.

Assim que descobriu a traição, Mari fez questão de deixar a associação conforme mostra o documento em anexo e deixou claro que não tem mais participação:

‘Agora não mais. Não tomo qualquer decisão. Quando nos unimos a uma pessoa damos a ela toda confiança e apoio. E foi isso que fiz, tenho minha consciência tranquila. A gente tinha planos, mas nesse momento os interesses e diretrizes de trabalho estão em caminho opostos. Eu não concordo e não quero mais fazer parte, muito menos responder por irresponsabilidades dele.’

 

Valinhos ainda está com salários atrasados, informação confirmada pela própria Mari:

‘Sim é verdade, e o que temos até agora é que tudo se ajeitaria até dia 30’.

O blog apurou que no próximo dia 10 o clube completa 3 meses de salários atrasados. As jogadoras assinaram contrato recentemente.

Receosas e desconfortáveis, elas preferiram manter o silêncio com medo de represálias por parte daqueles que ainda tocam o projeto e que as declarações possam prejudicar o futuro delas no BRASIL na busca por times.

O blog vai apurar com o presidente do Country Club Valinhos as medidas que estão sendo tomadas com a falta de pagamento e se o clube já teria uma resposta sobre a suspeita do desvio de verba.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: