O mal que aflige o Sesc é o mesmo que aflige o Minas

O mal que aflige o Sesc é o mesmo que aflige o Minas

Bruno Voloch

10 de fevereiro de 2020 | 09h31

Um time vinha de vitória contra Campinas fora de casa por 3 a 2.

O outro vinha de derrota sob seus domínios diante do Blumenau por 3 a 0.

Resultados que evidentemente sugeriam o Sesc confirmando o favoritismo e vencendo o Minas no Rio, certo?

Errado.

O mal que aflige o Sesc é o mesmo que aflige o Minas. Irregularidade com uma pitada de falta de confiança. Foi o que se viu nos 3 a 1 do Minas no Ginásio do Tijuca.

Os dois times não conseguem se firmar na Superliga.

Não falta trabalho, dedicação no dia a dia e conhecimento aos técnicos envolvidos, Giovane Gávio e Nery Tambeiro, amigos e representantes da nova geração.

O que pode faltar é tempo, principalmente para o Sesc onde a cobrança é bem maior por causa do investimento. No Minas a pressão é menor.

Ambos vão estar nos playoffs, mas se não encontrarem soluções práticas e imediatas para combater as questões encontradas, não irão longe.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: