O primeiro teste de Renan e sua trupe em Taubaté

O primeiro teste de Renan e sua trupe em Taubaté

Bruno Voloch

13 de março de 2019 | 10h26

Já dá para cobrar.

20 dias de trabalho. 3 semanas, tempo suficiente para colocar em prática sua filosofia de jogo.

Hoje, efetivamente, Renan Dal Zotto terá seu primeiro teste como técnico de Taubaté diante do Cruzeiro em Belo Horizonte em jogo que vale a liderança para o atual campeão.

Político, Renan manteve algumas decisões tomadas pelo antecessor, Ricardo Navajas.

Abouba na saída e Rapha como levantador, mas foi além efetivando Lucarelli e Douglas Souza como ponteiros titulares, descartando Conte e evitando o entra e sai dos tempos de Castellani.

Não que os argentinos não possam usados, mas Renan tratou de colocar cada um literalmente em seu lugar, o que vale para Nico também.

Só que definir a equipe é o de menos. Fazer o milionário time de Taubaté andar é o grande desafio dele e os 3 a 0 contra Ribeirão na estreia não dizem rigorosamente nada.

Renan precisa responder.

Chegou ganhando bem, tem contrato até abril de 2020 e foi atendido em todas as exigências. Dizem que terá carta branca para montar o elenco para a próxima temporada.

O que ele não aproveitou, e pelas atitudes parece iniciais está longe disso, foi a oportunidade de mudar a imagem construída ao longo da carreira e a fama de ‘paneleiro’ adquirida na seleção ao trazer o questionado Renato Bach, que não estava no script inicial, para fazer parte da comissão técnica.

Taubaté terá que voar em quadra.