O tetra do incansável Cruzeiro e o vice do surpreendente Minas na Copa Brasil.

Bruno Voloch

27 de janeiro de 2019 | 22h38

Prevaleceu a maior experiência do Cruzeiro que fez 3 a 0 no Minas e conquistou o tetracampeonato da Copa Brasil.

O resultado não apaga a ótima e surpreendente campanha do time dirigido por Nery Tambeiro na competição. Vice-campeonato que muda obrigatoriamente o patamar do Minas a partir de agora, afinal não é qualquer um que elimina Sesc e Taubaté na mesma competição.

O primeiro set foi decisivo em Lages.

Foi o único momento que o Minas ainda conseguiu jogar de igual para igual. Set equilibrado e definido em 29/27. Ali terminava a Copa Brasil.

O Minas acusou o golpe e passou a aceitar o domínio de um Cruzeiro habituado a decisão.

O que se viu a partir do segundo set foi o Cruzeiro determinando as ações, controlando o jogo e freando qualquer reação do adversário com a entrada de Filipe no lugar de Rodriguinho.

Foi um placar surpreendente especialmente pelo que os dois demonstraram no dia anterior contra Maringá e Taubaté. O resultado final não.

Ver o Cruzeiro campeão é rotina. Ver o Minas vice em competições nacionais é algo raro nos últimas décadas.

 

 

Tendências: