Os dois lados da mesma moeda em Barueri

Os dois lados da mesma moeda em Barueri

Bruno Voloch

27 de novembro de 2019 | 09h55

Não existe o certo ou o errado, apenas interpretações diferentes.

É esse o caso.

José Roberto Guimarães declarou após a derrota para Osasco que Barueri não é candidato ao título. Opinião que baseada nas justificativas do técnico é coerente se levarmos em conta apenas os números.

Barueri comprovadamente não tem o mesmo alcance e investiu muito menos que Praia, Rio, Minas e Osasco, nessa ordem e sempre favoritos. O que o treinador quis dizer, e talvez tenha sido mal interpretado, é que seu time não tem obrigação de ser campeão.

Verdade.

A responsabilidade está nas mãos dos 4 grandes.

O que José Roberto Guimarães não pode esquecer, e por méritos dele próprio, é que a conquista do título estadual mudou o status de Barueri no cenário nacional. Por isso a cobrança por resultados, o que faz todo sentido independentemente de ter nas mãos um grupo jovem, como ele sempre faz questão de frisar.

Aí entra o outro lado da moeda.

O aprendizado é natural, mas não dá para passar a mão na cabeça sempre.

O time tem média de idade de 21 anos, está amadurecendo nas vitórias e derrotas, mas a proteção demasiada, se acontecer, atinge diretamente a formação daquelas com potencial de seleção brasileira. A pressão desde cedo é positiva.

É preciso o quanto antes mudar a formação e a mentalidade das atletas que estão chegando e José Roberto Guimarães, com o grupo que formou e tem hoje, pode e deve contribuir muito nessa importante transição. É o mais indicado, afinal sofre com peças de reposição desde 2016.

 

 

Tendências: