Ousadia vence teimosia e Osasco para Minas

Ousadia vence teimosia e Osasco para Minas

Bruno Voloch

11 de janeiro de 2020 | 08h47

A ousadia de Luizomar de Moura superou a teimosia de Nicola Negro e assim Osasco acabou com a invencibilidade do Minas na Superliga vencendo por 3 a 2, placar predileto do time paulista.

O que deu resultado contra o Rio, quando venceu por 3 a 0, não significa necessariamente que seja o certo ou o mais indicado. E o técnico italiano insistiu.

A escalação de Deja como titular foi equivocada. Erro que custou caro a equipe mineira no primeiro set e que acabaria sendo determinante para o resultado final da partida. Kasiely, que pontuou 3 vezes mais que a norte-americana, não pode ser banco. Não para Deja, mas Nicola ainda não enxerga assim.

Bom para Osasco e futuramente para o Praia.

A inevitável escalação de Casanova no lugar de Bjelica lesionada pegou o Minas de surpresa. A cubana tem estilo de jogo completamente diferente da sérvia. Atuação que o Minas e principalmente Jaqueline, carimbada pela própria companheira no saque, não irão esquecer tão cedo. Para quem estava tanto tempo sem jogar, a cubana não fez feio.

Mas o torcedor de Osasco não se iluda, porque é uma jogadora instável e pouco confiável. Uma espécie de Deja. Funcionou contra o Minas, mas não quer dizer que irá funcionar contra Valinhos.

Se a teimosia de Nicola comprometeu o trabalho do Minas, a ousadia de Luizomar de Moura foi fundamental para os dois pontos de Osasco em Belo Horizonte.

Mesmo com poucas alternativas no banco, até em função da ausência de Bjelica, arriscou, até demais quando lançou Tomé, que não resolve nem em treino, mas encontrou o mínimo de equilíbrio com Vanessa em quadra.

Equilíbrio, apesar do VAR contra e arbitragem confusa, sem critério e que prejudicou muito o time no segundo set. Equilíbrio que se transformaria em confiança e concentração no tie-break como na sequência de saques impressionante de Roberta.

Osasco volta para São Paulo fortalecido.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.