Outro nível: China e Estados Unidos provam que não dava mesmo para o BRASIL.

Outro nível: China e Estados Unidos provam que não dava mesmo para o BRASIL.

Bruno Voloch

14 Outubro 2018 | 10h52

China e Estados Unidos protagonizaram o melhor jogo do mundial do Japão. Partida disputadíssima, alto nível técnico e que terminou com vitória da China por 3 a 2.

A conclusão que se chega é que não dava mesmo para o BRASIL.

Dá para afirmar categoricamente que a seleção brasileira, eliminada na segunda fase, não seria páreo para chinesas e norte-americanas. Aliás, é bom lembrar que os Estados Unidos ganharam os 4 amistosos que fizeram contra o BRASIL antes do mundial com time B. A maioria das jogadoras daquela equipe não foi ao Japão.

China e Estados Unidos, atualmente, estão em outra patamar. O BRASIL não passa nem perto.

O que se vê é uma diferença técnica gigantesca. São seleções que chegaram preparadas, definidas, equilibradas, inteiras fisicamente e com peças de reposição.

O saque e Zhu, sempre ela, foram determinantes para a vitória da China no tie-break.

Os Estados Unidos evoluíram muito em relação a derrota sofrida em Osaka dias antes quando caiu fácil por 3 a 0. Certamente estarão na semifinal e sabe-se lá podem rever a China numa eventual final repetindo 2014.