Pelada na Panela

Pelada na Panela

Bruno Voloch

05 de fevereiro de 2019 | 21h54

60 erros e uma autêntica pelada.

27 de um lado, 33 do outro.

Ganhou aquele time que é minimamente organizado, no caso o Rio.

Dessa vez Bauru não escapou.

Se quase entregou há algumas semanas pela Copa Brasil, agora não teve jeito. É impressionante a desorganização tática e insegurança do time sob comando de Anderson Rodrigues. O técnico de novo se perdeu nas alterações e rifou de uma só vez Gabi e Palácio após a equipe ser goleada no primeiro set.

É bem verdade que Naiane, que veio do banco, foi determinante na vitória no segundo set. Mas continua sendo pouco para Bauru que até agora quase na metade do returno não tem as titulares definidas.

Embora tenha sofrido no passe, Tifanny foi a melhor de Bauru. Vanessa, contratada para passar, parece sem ritmo e entregou atrás.

Bauru continua frágil emocionalmente.

O Rio, apesar de ter errado acima da média, ainda está distante do que o torcedor está acostumado e se beneficiou claramente pela desordem do outro lado da rede.

Kosheleva continua discreta. A recuperação de Bia, melhor a cada rodada, é que pode ser um trunfo de Bernardinho para os playoffs.

O resultado praticamente garante o Rio entre os 4 primeiros, o que permite cautela em relação a Drussyla, imprescindível ao time.