Perda de tempo, mas Bauru continua pagando para ver

Perda de tempo, mas Bauru continua pagando para ver

Bruno Voloch

13 de novembro de 2019 | 08h41

A teimosia dos dirigentes de Bauru é algo inexplicável.

Postura que vai custar literalmente caro no futuro.

Se o estadual não serviu como alerta, quando o time sequer jogou a final, a estreia na Superliga perdendo para o Pinheiros por 3 a 2, é mais um sinal que existe algo errado internamente.

Por muito menos, alguns treinadores foram detonados no meio do caminho.

Anderson Rodrigues, resiste, e continua fazendo do time uma autêntica salada. O conhecido entra e sai interminável depõe contra o treinador que não consegue definir as titulares. Insegurança visível fora e principalmente dentro de quadra.

Enquanto isso, os grandes, sem exceção, passearam na primeira rodada da Superliga Feminina.

Minas, Praia, Osasco e Rio ganharam fácil na estreia.

Barueri também passou sem problemas pelo frágil Fluminense, de Hilmer Dias. Todos 3 a 0.

Já Bauru, continua pagando para ver, investindo errado e perdendo tempo.

 

Tendências: