Praia e Barueri foram os únicos contra o ranking; Sheilla ganhou ‘liberdade’ por unanimidade.

Praia e Barueri foram os únicos contra o ranking; Sheilla ganhou ‘liberdade’ por unanimidade.

Bruno Voloch

07 Março 2018 | 09h29

Praia Clube e Barueri levaram uma autêntica goleada na reunião que começou a definir os rumos do vôlei feminino para a próxima temporada.

Os dois clubes foram os únicos que votaram contra o ranking. Praia e Barueri tiveram ainda o apoio da Comissão de Atletas. Os 3 entretanto foram vencidos pela maioria que optou pela continuidade do modelo atual.

Osasco, Bauru, Rio, Minas, Pinheiros, Fluminense, São Caetano e o ‘penetra’ Brasília votaram contra o fim do ranking.

Derrota, entre aspas, semelhante sofreu Tifanny nos bastidores. Quase que por unanimidade os clubes definiram que a jogadora de Bauru fosse ranqueada com 7 pontos.

O caso envolvendo Sheilla idem. Pesou o fato da ex-jogadora da seleção estar inativa desde a Olimpíada do Rio em 2016.