Praia reage sem Garay e coloca máxima em xeque para os playoffs

Praia reage sem Garay e coloca máxima em xeque para os playoffs

Bruno Voloch

13 de março de 2019 | 08h46

Time que está ganhando não se mexe.

Se a velha máxima do esporte for respeitada no Praia Clube, o técnico Paulo Coco terá uma bela dor de cabeça pela frente. Sem Fernanda Garay, considerada titular absoluta, o time reagiu após perder o Sul-Americano e venceu os últimos jogos da Superliga. Um deles inclusive contra o próprio Minas quebrando longo jejum.

E a história se repetiu.

Foi com Rosamaria em quadra novamente que o Praia derrotou Barueri por 3 a 1 alimentando ainda o improvável sonho de ser primeiro colocado na fase de classificação.

Rosa, que pontuou em todos os fundamentos, e Michelle saíram jogando e Ellen atuou os 3 últimos sets. Segundo o blog apurou,  para o jogo contra o Rio sexta-feira em Uberlândia, Garay, que só fez fundo, estaria apta para atuar já recuperada de uma lesão muscular.

A questão é delicada.

Paulo Coco vai precisar de muita habilidade.

Se optar por Garay, terá que necessariamente sacar Rosa, em franca evolução, ou Michelle do time. Se mantiver o time que venceu Minas e Barueri, pode continuar poupando Garay e dando confiança as duas e mais Ellen.

Só que mais cedo ou mais tarde, segunda-feira dia 18, data que o Praia abrirá as quartas de final, Paulo Coco terá que resolver a vida. Como Fluminense ou Curitiba não oferecem maiores riscos, o técnico pode até empurrar com a barriga a definição e deixar a coisa fluir naturalmente.

Depois não, aí começa a ficar sério o campeonato.

Coragem nunca faltou ao treinador. Personalidade idem. O fato, queiram ou não, é que o Praia se arrumou e está convencendo  sem ela entre as titulares e não convém mexer em time que está ganhando.