Prefeito de Taubaté pede voto de confiança, propõe planilha e dívida zerada até julho

Prefeito de Taubaté pede voto de confiança, propõe planilha e dívida zerada até julho

Bruno Voloch

11 de fevereiro de 2020 | 08h08

O elenco de Taubaté cobrou, exigiu explicação e uma solução prática para os 3 meses de salários atrasados.

Ortiz Junior, prefeito de Taubaté, pediu voto de confiança aos jogadores e comissão técnica antes da viagem para Belo Horizonte onde o clube participará essa semana do Sul-Americano.

O blog apurou, promessa do político, que uma nova planilha será feita e apresentada quando o grupo retornar do torneio e se reapresentar na semana que vem. A tendência é que a dívida seja paga gradativamente a partir de março, desde que os atletas aprovem a proposta e a suposta planilha.

Até onde o blog chegou, o atraso não tem ligação com a Havan e a EMS, dois dos patrocinadores mais importantes. Uma terceira empresa não teria feito o repasse como combinado.

O prefeito no entanto teria garantido que até julho, no máximo, tudo estará zerado.

E é bom que seja assim.

Julho é o limite.

Sem a quitação e a consequente assinatura dos jogadores, Taubaté não teria o fair play financeiro, o que em tese, sem o tradicional jeitinho conhecido da CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, inviabilizaria juridicamente a participação do time na próxima edição da Superliga.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: