Prova final para o Minas, teste definitivo para Gabizinha e reencontro de Natália com o Rio.

Prova final para o Minas, teste definitivo para Gabizinha e reencontro de Natália com o Rio.

Bruno Voloch

21 de dezembro de 2018 | 08h25

Não faltam atrativos para o Minas x Rio de logo mais.

Invicto na Superliga, o time mineiro encontrará o algoz das duas últimas temporadas. O Rio, de Bernardinho, eliminou o time mineiro nas semifinais da Superliga e em ambas as ocasiões contava com Gabizinha no elenco.

Foram 6 anos sob comando de Bernardinho e ela mudou. Crescimento inegável, amadurecimento e o caminho natural até a seleção brasileira.

Corajosa, mudou de camisa também, levando junto a inseparável Natália e enfraquecendo diretamente o Rio. Será também a primeira vez que Natália cruzará com Bernardinho desde que saiu para a Turquia em 2016.

Mara e Bruna, crias do Rio, já sentiram essa sensação antes, mas nada que possa ser comparado ao relacionamento entre Gabizinha e o ex-clube.

Rivalidade acirrada a partir do momento em que o Minas, ainda sem a dupla, tirou do Rio a possibilidade de tentar igualar Osasco e jogar o Mundial de Clubes ao conquistar o Sul-Americano.

O momento do Minas é melhor e pode abrir 6 pontos diante do Rio, com 1 jogo a menos, em caso de vitória. O vice-campeonato mundial provou a evolução técnica e principalmente física do time , livre das lesões.

O Rio, em quarto lugar, não.

Sem Drussyla e Bia, anda capengando, se arrumando com o que tem, mas claramente sem a força do passado. Mas é o Rio. Tradição que jamais pode ser desprezada e que sabe como poucos enfrentar o Minas.