Que a atuação histórica de Tandara possa valorizar a Copa Brasil

Que a atuação histórica de Tandara possa valorizar a Copa Brasil

Bruno Voloch

02 de fevereiro de 2020 | 09h14

Parecia final de Superliga.

Não, foi apenas a decisão da Copa Brasil, competição que deveria ser mais valorizada pela CBV, Confederação Brasileira de Vôlei, e trazer algum benefício ao campeão.

O Rio, assim como o Cruzeiro na semana passada, ganham apenas o direito de jogar a Supercopa, ou seja, nada.

O vencedor da Copa Brasil, por exemplo, deveria se classificar para o Sul-Americano, nada de Libertadores, outra bobagem criada recentemente e que também não dá direito a rigorosamente nada.

Tomara que o desempenho espetacular e acima da média de Tandara sirva de inspiração para os dirigentes e os próprios clubes, coniventes com o descaso da competição.

Não é todo dia que se vê numa final de campeonato, ainda que se discuta a valorização do torneio, uma jogadora alcançar essa  marca expressiva.

É bem possível que Rio e Praia se encontrem novamente em abril disputando o título da principal competição do país.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: