Quem para o Minas? Ou seria quem para Thaísa?

Quem para o Minas? Ou seria quem para Thaísa?

Bruno Voloch

08 de janeiro de 2020 | 10h14

Único invicto da temporada, o Minas não teve trabalho para vencer o Fluminense por 3 a 0.

Destaque novamente para Thaísa com 7 de pontos de bloqueio em 3 sets, aproveitamento de 60% no ataque e pontuando em todos os fundamentos.

O que se vê é um time cada vez mais dependente da central. E Thaísa gosta de jogar assim. Para sorte dela e do Minas, a levantadora Macris, acima da média, tem sido peça decisiva nessa engrenagem.

O entrosamento entre as duas cresce a cada rodada com Thaísa virando bola de segurança.

Nicola, aparentemente, percebeu que Deja é no máximo uma jogadora de composição. Boa de grupo, mas sem nível para ser titular do Minas podendo ajudar em uma ou outra passagem. Kasiely, escalada como titular, não foi contratada para derrubar bola e sim dar sustentação e segurança na recepção. Tem cumprido seu papel.

O Minas só depende dele para terminar o primeiro turno como líder. Mas não é o único. O Praia Clube também.

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.