Rapha, inigualável, valoriza tetracampeonato mundial pelo Trentino e torce pelo Cruzeiro na Polônia.

Rapha, inigualável, valoriza tetracampeonato mundial pelo Trentino e torce pelo Cruzeiro na Polônia.

Bruno Voloch

11 de dezembro de 2017 | 13h28

Rapha, levantador da seleção e de Taubaté, é o único brasileiro tetracampeão mundial de clubes. A marca inédita foi alcançada quando o jogador defendia o Trentino, da Itália.

Por sinal, Rapha ganhou tudo que disputou pelo clube italiano.

Chegou ao BRASIL disputado pelos grandes times do país. Optou por Taubaté. Curiosamente, Rapha, que não é exceção, é mais valorizado no exterior do que aqui.

Coisas do BRASIL.

O blog conversou com o jogador na véspera da estreia do Cruzeiro no mundial de clubes da Polônia.

Qual a importância de um título mundial de clubes na carreira do jogador?

Acho importantíssimo e muito honroso, pois junto com a Champions League são as duas competições mais importantes do mundo e que rendem mais prestígio.

Como você se sente sendo o único brasileiro tetracampeão legítimo?

É muito gratificante e ao mesmo tempo ver seus sonhos sendo realizados. Ser tetracampeão mundial foi mais que a realização de um sonho. Foi ter colocado o Trentino na história do vôlei e o meu nome junto. Sou muito grato a Deus.

Quem era melhor? O Trentino da sua época ou o Cruzeiro atual?

O Cruzeiro tem uma linda trajetória e é um ótimo time. Mas na minha opinião o Trentino era superior. Foi um dos melhores de todos os tempos.

Qual a principal recordação das 4 conquistas? Qual a mais importante delas?

Os quatro títulos são muito especiais. Do primeiro em 2009 até o último em 2012. Mas a principal recordação é ter vencido os 4 mundiais sem ter perdido nenhum jogo em 4 anos. Conseguimos ser tetra invictos. Inacreditável.

E quais serão as dificuldades do Cruzeiro para manter a hegemonia?

Acho que será o aumento do nível técnico do torneio. Esse ano será muito forte com a presença dos europeus. Itália, Rússia e Polônia, ainda mais em casa, têm muita tradição.

E o Rapha vai torcer pelo Cruzeiro?

Com certeza. E pelo BRASIL também. Mais um título representa prestígio para nosso país.

 

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.