Recado de Rapha e Douglas Souza no penta de Taubaté.

Recado de Rapha e Douglas Souza no penta de Taubaté.

Bruno Voloch

16 Outubro 2018 | 08h43

É simples explicar porque Taubaté conquistou o pentacampeonato paulista.

Venceu porque Daniel Castellani, que andava pendurado, deixou o patriotismo de lado, pensou no emprego e reconheceu durante a segunda partida da decisão que perderia o título se não usasse Rapha e Douglas Souza, os dois preteridos abertamente por Uriarte e Conte.

Fato é que o jogo mudou desde a entrada de Rapha no terceiro set e a volta de Douglas Souza que arrumaram o time. Taubaté, até então dominado inteiramente pelo Sesi, equilibrou a partida.

Sobrou até para Vissoto em determinado momento da final, mas Castellani teve que se render ao oposto no golden set. Decisão catimbada que deu muito trabalho para a arbitragem e com as mesmas figuras punidas e envolvidas em discussões.

A ausência de Lipe, que se lesionou no primeiro set, pode ter influenciado, mas certamente o emocional pesou contra o Sesi no set desempate.

Até os mais experientes como William e Murilo perderam a cabeça, algo perfeitamente compreensível, afinal não deve ser fácil perder pela quinta vez seguida para o mesmo adversário.