Renan aprova Bruno, mas não garante permanência e exige transparência com Rapha

Renan aprova Bruno, mas não garante permanência e exige transparência com Rapha

Bruno Voloch

27 de fevereiro de 2020 | 08h14

‘Quem não gostaria de contar com o Bruno?’

Foi dessa maneira que Renan, técnico de Taubaté, respondeu ao blog quando perguntado sobre a possível chegada do levantador titular da seleção brasileira.

‘O Bruno é um jogador diferenciado e valorizado. Qualquer um gostaria de trabalhar com ele no clube, mas as coisas não são tão simples como parecem. Existem situações que precisam ser alinhadas antes de fechar negócio’.

O treinador admitiu que foi consultado pelos dirigentes e aprovou a contratação, mas com ressalvas:

‘É uma questão delicada. Primeiro que estamos no meio da competição. Segundo que temos um jogador no elenco, no caso o Rapha, que é um ícone do projeto, ídolo na cidade e a cara de Taubaté. Os dirigentes precisam alinhar isso com ele. Precisam não, eles passam ter a obrigação de comunicar ao Rapha o que pretendem fazer. Trata-se de um atleta exemplar e de conduta irretocável. Merece respeito’.

Renan ainda lembrou das dívidas do clube com o elenco:

‘Não é uma situação confortável. Existe de fato, como foi dito, uma planilha para zerar tudo até julho. Tomara que tudo seja realmente cumprido, até porque Taubaté precisa ter o fair play financeiro, caso contrário pode não jogar a próxima edição da Superliga’.

Por fim, ele admite que não sabe se continuará em Taubaté:

‘Honestamente não sei. E não é uma decisão minha e sim da família, sempre digo isso. Me sinto distante de casa, é um processo cansativo e que precisa ser reavaliado. Assim que a Superliga terminar o foco passa a ser a Olimpíada. Só depois, com calma, a gente conversa com os familiares e decidirá o melhor caminho’.

Renan tem contrato com Taubaté até maio.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: