Renan recebeu apenas ajuda de custo nos meses trabalhados em Taubaté

Renan recebeu apenas ajuda de custo nos meses trabalhados em Taubaté

Bruno Voloch

15 de maio de 2019 | 08h01

Renan, como se diz na gíria, ‘comprou’ o projeto em Taubaté. Acreditou que faria a diferença.

E fez.

Para se ter uma noção do quanto o técnico da seleção estava empolgado, o blog apurou que Renan abriu mão de grande parte do salário e recebeu apenas ajuda de custo nos meses trabalhados no clube paulista.

E olha que foram quase 3.

Taubaté estava com orçamento estourado quando convidou Renan para dirigir o time. A proposta inicial falava em assumir o cargo depois da Superliga, ou seja, para a próxima temporada.

Contrato de 12 meses.

Até onde o blog chegou, o técnico, depois de consultar a família e fascinado pela possibilidade dee poder brigar pelo título, aceitou o desafio de substituir de imediato Ricardo Navajas, que tocava a equipe interinamente após a demissão de Castellani.

Nesse caso Renan passou a receber apenas uma ajuda de custo a partir de fevereiro, acordo esse que seria cumprido até o fim da participação do time na Superliga.

Era o que estava ao alcance de Taubaté.

O acerto para compensar a ‘perda’ dos meses trabalhados será feito quando efetivamente começar o contrato do treinador entrar em vigor.

Renan dessa forma ganhou a confiança do prefeito e dos responsáveis pelo vôlei na cidade.

 

 

 

 

 

Tendências: