Risco calculado, mas Argentina não tem nada a perder. BRASIL sim

Risco calculado, mas Argentina não tem nada a perder. BRASIL sim

Bruno Voloch

11 de setembro de 2019 | 08h30

Renan Dal Zotto decidiu arriscar.

O BRASIL jamais perdeu o Sul-Americano.  A opção de disputar a competição com uma seleção renovada é interessante e levemente arriscada.

Ganhar é obrigação. Perder seria entrar para a história de maneira negativa.

A Argentina, de Marcelo Mendez, fez o mesmo, o que não deixa de ser um alívio. Ambos estão priorizando, e com inteira razão, a Copa do Mundo. Classificados para a Olimpíada, os dois usarão o Sul-Americano para testar caras novas, observar e descansar peças consideradas fundamentais para Japão 2020.

A diferença é que a Argentina não tem nada a perder.

O BRASIL sim.

As duas seleções jogam contra ninguém, casos de Colômbia, Equador e provavelmente Venezuela na semifinal. O outro pega o Chile, sede, e que sonha em beliscar uma vaga na final.

 

 

 

 

 

Tendências: