Saída de Leal provoca quebra-cabeça no Cruzeiro que passa por Grozer e Taylor Sander. Entenda as opções.

Saída de Leal provoca quebra-cabeça no Cruzeiro que passa por Grozer e Taylor Sander. Entenda as opções.

Bruno Voloch

06 de abril de 2018 | 07h59

A saída de Leal para a Itália, jogador está assinado com o Lube Civitanova conforme o blog antecipou, tem tirado o sono dos dirigentes do Cruzeiro.

A movimentação dos concorrentes, casos de Taubaté, que já trouxe Vissoto e mira Conte, Sesc, renovado com 90% do time e trazendo oposto de seleção, e do Sesi, faz o Cruzeiro se apressar no mercado.

O blog apurou que a montagem do time para a próxima temporada passa pela permanência ou não de Evandro. Hoje não existe acerto financeiro e a tendência seria Evandro não ficar.

É difícil, mas o caso pode mudar.

O que não muda é a ida de Leal para a Itália e sem ele uma das alternativas seria deslocar Simon para oposto, posição que o cubano atuou quando estava na Coreia. Taylor Sander, norte-americano, atualmente no Lube, futuro time de Leal, poderia ser contratado fechando os dois estrangeiros. 

Éder, só nessa hipótese, teria chance de ser repatriado como central.

A outra opção seria queimar a segunda vaga de estrangeiro com o alemão György Grozer como oposto e Simon acabaria mantido no meio.

O destino de Nico é que está basicamente traçado. O levantador argentino perde força por causa da necessidade do Cruzeiro de contratar atacantes. O regulamento só permite dois por time e no BRASIL o Cruzeiro não enxerga ninguém.

Marcelo Mendez não abre mão de investir em Cachopa. O técnico vê entretanto a necessidade de ter no grupo um levantador mais rodado que seja capaz de conviver com Cahopa e passar aos poucos o bastão.

O nome de Sandro tem sido comentado nos bastidores e agrada o Cruzeiro.

 

Tendências: